O que é vasculite?

As Vasculites podem ser definidas como uma inflamação dos vasos sanguíneos e são doenças auto-imunes. Isto significa que os mecanismos do nosso organismo, que nos deviam proteger de agressões externas, como as infecções, perdem a capacidade de distinguir entre o que é um agente estranho (algo mau) e um tecido que pertence ao próprio organismo, começando a atacar órgãos saudáveis do nosso corpo (neste caso os vasos sanguíneos), causando-lhes lesões. As lesões causadas pela vasculite dependem do tamanho do vaso afectado, quer do órgão ou órgãos atingidos, dando origem a vários tipos de vasculite.

A título de exemplo, se a inflamação ocorrer nos pequenos vasos da superfície da pele, poderão aparecer manchas cutâneas e pequenas zonas de pele desvitalizada, a qual recuperará com a melhoria da vasculite. Se os vasos atingidos forem os dos rins, poderá haver um mau funcionamento deste órgão, com consequências graves e necessidade de intervenção terapêutica urgente.

As vasculites podem ser primárias, se aparecem subitamente numa pessoa saudável, ou secundárias, se surgem numa pessoa com uma doença de base, como o Lúpus, a Artrite Reumatóide, a Síndrome de Sjögren, Hepatite, Leucemia e Linfomas.

A causa é desconhecida na maioria das vasculites e, embora haja algum componente hereditário (sucede serem afectadas várias pessoas da mesma família) sabe-se que não são doenças herdadas diretamente.

Habitualmente, as vasculites são classificadas consoante o calibre dos vasos maioritariamente afectados.

Sinais/Sintomas e Diagnóstico

A Vasculite pode assumir vários tipos e, consequentemente afectar órgãos e sistemas distintos. Deste modo, os sinais e sintomas variam consoante o tipo de vasculite, o órgão afetado, a pessoa portadora da doença e o período/fase em que a doença está.

Existem alguns sinais e sintomas gerais: mal-estar, febre, fadiga, perda de apetite (anorexia) e perda de peso.

Os outros sinais e sintomas variam de acordo com a parte do corpo que é afectada:

  • Pele: Aparecimento de manchas (as mais frequentes são arroxeadas e pequenas), surgindo em grupos (púrpura), podendo também verificar-se úlceras.
  • Pulmão: Tosse com ou sem sangue e dificuldade em respirar.
  • Sistema Nervoso: Fraqueza muscular e alterações da sensibilidade (sensações de “formigueiro” ou “entorpecimento”).
  • Rim: Proteinúria (proteínas na urina) e/ou hematúria (presença de sangue na urina que pode ser visível ou microscópica), hipertensão arterial e edemas (inchaço) dos membros inferiores, superiores e face. Pode haver uma insuficiência renal com necessidade de se iniciar diálise.
  • Intestino: Cólicas abdominais (sobretudo depois das refeições) e aparecimento de sangue nas fezes.
  • Articulações: Dores articulares ou artrite (inflamação das articulações, que se manifesta por inchaço, calor, vermelhidão e dificuldade em mover a articulação).
  • Nariz: Sinusites recorrentes (manifestam-se por corrimento nasal, hemorragias nasais e crostas) e úlceras nasais.
  • Ouvidos: Otites recorrentes.
  • Olhos: dificuldade na visão, visão dupla ou turva, dor no olho ou olho vermelho.

No que concerne ao diagnóstico definitivo da Vasculite, este envolve, primeiramente, reunir toda a informação referente à história clínica da pessoa, aos seus antecedentes de infecções e ao uso de drogas/fármacos. Depois, tem-se de ter em atenção a realização de um minucioso exame físico, onde certos achados, como a púrpura palpável, são altamente sugestivos de Vasculite.

A maioria dos testes laboratoriais não vão especificar diretamente a doença mas são importantes para identificar as disfunções orgânicas: podem mostrar se os vasos sanguíneos estão inflamados e avaliar a evolução da doença.