Neoplasia de Vias Biliares

DRENAGEM BILIAR PERCUTÂNEA TRANSHEPÁTICA

Neoplasia das Vias Biliares é uma doença rara, ocorrendo em menos de 2% dos casos de neoplasias malignas humanas. A maioria dos pacientes evoluem com icterícia (coloração amarelada pelos olhos e corpo) e prurido (coceira) necessitando muitas vezes de drenagem pelo Fígado, no intuito de tratar ou prevenir infecção.

O procedimento da Drenagem Biliar Percutânea Transhepática é um procedimento minimamente invasivo realizado com orientação por Raios-X (fluoroscopia) e através de uma punção no abdome com uma fina agulha é inserido um cateter pelo fígado, ultrapassando a neoplasia com intuito de diminuir a coceira (prurido), o amarelo pelo corpo (icterícia) e consequentemente prevenir ou tratar a infeção.

A drenagem percutânea é um método eficiente e seguro para tratar obstrução biliar, especialmente naqueles pacientes que não podem ser operados.

DILATAÇÃOS DAS VIAS BILIARES

A estenose ou oclusão das vias biliares decorrem, na grande maioria das vezes, de traumatismo cirúrgico acidental, sendo as cirurgias da vesícula ou de estomago os procedimentos que mais vezes resultam nessas lesões.

Independentemente da sua causa, estas lesões levam a consequências sérias ao fígado, como a cirrose, sendo então imprescindível sua resolução.

O procedimento de Dilatação Percutânea é guiada por imagem (semelhante à sala onde se realiza o cateterismo cardíaco) e através de uma punção com uma fina agulha no abdome, é introduzido um cateter juntamente com balões nas vias biliares que promovem a recanalização e dilatação do segmento estenosado/ocluído.

Este procedimento é realizado através de anestesia geral ou local com sedação, sendo realizado uma ou varias sessões de dilatação sucessivas, dependendo do resultado obtido na dilatação inicial.